domingo, 24 de junho de 2012

NPH Divulga!


ACERVO DE ENTREVISTAS DO PROJETO MARCAS DA MEMÓRIA DISPONÍVEL AOS INTERESSADOS
O Núcleo de Pesquisa em História anuncia o lançamento de um acervo áudio-visual que registra a história de vida de pessoas que, no Rio Grande do Sul, foram alvo da repressão e/ou se destacaram na luta contra a Ditadura. Este material está sob a guarda do NPH e disponível para consulta aos pesquisadores interessados. O acervo é composto por dezoito entrevistas de história oral realizadas pelo projeto de pesquisa Marcas da Memória: História Oral da Anistia no Brasil, resultado de convênio entre a UFRGS e a Comissão de Anistia no Ministério da Justiça, coordenado pela professora Carla Rodeghero e realizado pela equipe do NPH em parceria com alunos de graduação e de pós graduação.

A escolha dos entrevistados pelo projeto passou critérios definidos pela equipe, tais como: dar prioridade a pessoas que ainda não haviam sido ouvidas em trabalhos desse tipo, dar visibilidade às diferentes correntes políticas que existiram dentro da oposição à ditadura, além de uma preocupação de representar de forma igualitária homens e mulheres.

As entrevistas, focadas na vivência individual desses atores políticos, permitem construir um vasto panorama do período da ditadura no Brasil, trazendo para esse contexto as visões mais diferenciadas, tais como: a militância no PCB e no antigo PTB; a atuação do movimento estudantil; a experiência da luta armada; a produção cultural e artística; os movimentos pelos direitos humanos e pela anistia; os movimentos negro e indígena; a experiência da prisão, da tortura, do exílio, do desaparecimento de familiares; a visão da criança nesse contexto; as estratégias de superação das marcas da repressão; as avaliações sobre as políticas levadas a efeito ou necessárias para o tratamento da herança da ditadura; a importância de refletir sobre a memória destes fatos, entre outros. 

Portanto, esse material apresenta um vasto campo de ação para o pesquisador, trazendo diferentes visões e experiências de um mesmo período, visibilizando grupos sociais pouco representados, e demonstrando aspectos políticos, culturais e subjetivos da Ditadura. As entrevistas estão disponíveis na sua versão em vídeo e em arquivos PDF (transcrição e ficha técnica). 

Abaixo apresentamos a lista dos entrevistados pelo projeto: 

Almoré Zoch Cavalheiro. Entrevista concedida a Aryanne Torres Nunes, em Porto Alegre, em 05 de outubro de 2011. Almoré é militar expurgado. Foi membro do antigo PTB e participou do Movimento pela Legalidade. Como sargento, concorreu e foi eleito deputado estadual no Rio Grande do Sul. Sua posse foi impedida pela justiça. Foi preso após a Revolta dos Sargentos em 1963 e expurgado. 

Arnildo Fritzen. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero em 14 de novembro de 2011, em Carazinho, RS. Arnildo é padre. Participou da luta dos sem terra no Rio Grande do Sul e esteve também envolvido em movimentos relativos à saúde e à organização das mulheres trabalhadoras rurais. 

Carlos Francklin Paixão de Araujo. Entrevista concedida a Dante Guimaraens Guazzelli e a Francisco Carvalho Jr., em 11 de abril de 2011, em Porto Alegre. Carlos Araujo é advogado.  Foi dirigente da organização VAR- Palmares. Viveu na clandestinidade, foi preso e torturado. Foi anistiado e indenizado. Foi deputado estadual pelo PDT.

Caio Lustosa. Entrevista concedida a Gabriel Dienstmann e a Carla Simone Rodeghero, em 22 de novembro de 2011, em Porto Alegre. Caio é procurador aposentado, ex-vereador e ex-secretário de Meio Ambiente de Porto Alegre. Foi fundador e presidente da ANAI (Associação Nacional de Apoio ao Índio). Teve intensa atuação em entidades ambientalistas, desde os anos 1970. 

Cláudio Accurso. Entrevista concedida a Francisco Carvalho Jr. e Rosemay F. Brum, em 1º de setembro de 2011, em Porto Alegre. Economista. Professor da UFRGS, cassado em 1964. Expurgado do serviço público estadual. Viveu em diversos países da América Latina, prestando serviços de consultoria para a ONU.

Emílio Chagas. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero em 13 de dezembro de 2011, em Porto Alegre. Emílio é jornalista, atuante no Movimento Negro. Fundou a Revista Tição, em 1978, em Porto Alegre.

Fernando do Canto. Entrevista concedida a Dante Guimaraens Guazzelli e Gabriel Dienstmann, em 05 de setembro de 2011, em Porto Alegre. Fernando é médico. Durante a ditadura militou no MDB de Três Passos e tinha relações estreitas com o PCB. Foi eleito deputado estadual em 1974 pelo MDB. 

Flávia Schilling. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero e a Maria Paula Araújo, em 18 de julho de 2011, em São Paulo. Flávia é professora da USP. Filha de liderança do antigo PTB (Paulo Schilling), partiu ainda criança para o exílio no Uruguai. Lá se envolveu com grupos clandestinos de oposição, foi presa por quase 8 anos. Sua libertação fez parte das campanhas pela anistia.

Honório Peres. Entrevista concedida a Dante Guimaraens Guazzelli, em 04 de maio de 2011, em Porto Alegre. Honório é advogado. Foi membro do PCB, tendo sido preso durante a ditadura. Foi beneficiado pela Lei Britto (11.042/97), lei estadual que indenizou perseguidos políticos no Rio Grande do Sul.

Jair Krischke. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero em 21 de setembro de 2011, em Porto Alegre. Jair foi fundador e continua sendo dirigente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos. Teve e tem atuação junto ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

José Augusto Avancini. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero, em 18 de agosto de 2011, em Porto Alegre. Avancini é historiador e professor da UFRGS. Durante a ditadura teve proximidade política com a AP (Ação Popular) e contato com pessoas perseguidas, presas e exiladas. Foi impedido de assumir emprego público pela falta do atestado de bons antecedentes.

Lícia Peres. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero e a Gabriel Dienstmann, em 27 de junho de 2011, em Porto Alegre. Lícia é socióloga. Foi fundadora presidente do Movimento Feminino pela Anistia/RS. Atua no PDT.

Lino Brum Filho. Entrevista concedida a Gabriel Dienstmann em 18 de outubro de 2011, em Porto Alegre. Lino é jornalista e irmão do desaparecido político da Guerrilha do Araguaia, Cilon Cunha Brum. Atuante em questões ligadas aos mortos e desaparecidos políticos. 

Lúcio Barcellos. Entrevista concedida a Francisco Carvalho Jr. em 09 de junho de 2011, em Porto Alegre. Lúcio é médico sanitarista. Foi militante da Fração Bolchevique Trotskista (FBT). Preso em 1970, anistiado e indenizado.

Marta Sicca da Rocha. Entrevista concedida a Gabriel Dienstmann em 21 de maio de 2011, em Porto Alegre. Marta é filha de Tapir Rocha, político do PTB cassado e preso em 1964 e que mais tarde atuou no MDB. Uma de suas irmãs fez parte do Comitê Brasileiro pela Anistia (CBA/RS). 

Nilce Azevedo Cardoso. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero e a Gabriel Dienstmann, em 17 de maio de 2011, em Porto Alegre. Nilce é professora de Física e psicopedagoga. Militou na AP (Ação Popular) em São Paulo e no Rio Grande do Sul. Viveu um período na clandestinidade. Foi presa e torturada.

Raul Ellwanger. Entrevista concedida a Carla Simone Rodeghero, em 07 de julho de 2011, em Porto Alegre. Raul é músico e compositor. Fez parte da Var-Palmares. Viveu na clandestinidade, foi condenado pela Justiça Militar. Exilado no Chile e na Argentina.

Sandra Helena Machado. Entrevista concedida a Francisco Carvalho Jr. em 27 de outubro de 2011, em Porto Alegre. Sandra é professora. Atuou no Movimento Estudantil. Foi perseguida política, presa e exilada no Chile e na Europa. Foi anistiada e indenizada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário